20.2.05

A R T E

A Arte verdadeira é sempre subversiva. Tudo o resto é entretenimento.
LP

5 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Isso significa que os Divertimentos de Mozart, as Serenatas de Dvorak e Tchaikovsky, muitas peças de Stravinsky (Circus Polka, etc), entre milhares de obras mais que fazem parte dos repertórios fundamentais de todos o mundo não são mais que meros divertimentos sem interesse nem justificação? Mas em que planeta é que vocês vivem?

20 fevereiro, 2005 19:42  
Blogger peão contemporâneo said...

respondendo ao comentario, eu que sou exterior a este espaço...
não, não significa que não tenham interesse.
por acaso leu que o entretenimento não interessa a ninguém?
e o que é isso de justificação? como justifica, então, os divertimentos de mozart? e a sua existência, caro anónimo, como a justifica? alguém o criou distraído? ...mas não é por ter sido criado que é um objecto artístico. além de que, pelo que apercebo, não deve haver em si nada de subversivo.

20 fevereiro, 2005 22:54  
Blogger Decompositor said...

1. Um divertimento também pode ser subversivo. O aspecto “subversivo” nada tem a ver com um género seja ele lúdico ou não.

LP

20 fevereiro, 2005 23:43  
Anonymous Anónimo said...

Sim, li, li que só a arte subversiva é verdadeira, "ergo", o resto não é verdadeiro, por omissão, ou você não sabe português? Q.E.D.

Defender a trampa e chamar-lhe arte subversiva só porque alguém meteu um urinol na parede e resolveu chamar-lhe arte, ou porque outro alguém gravou um arroto e resolveu chamar-lhe música é muiot engraçado, mas terá o destino de todas as parvoíces desse género: o esquecimento, que, aliás, já começou. Há um enorme cemitério de partituras á espera das vossas também. E o triste é que vocês sabem disso. Devem ser masoquistas, coitados...

21 fevereiro, 2005 01:54  
Blogger peão contemporâneo said...

saber português... saber ler português?
saber ler que "A Arte verdadeira é sempre subversiva. Tudo o resto é entretenimento." significa que o entretenimento não interessa a ninguém? não, isso não sei ler. como se faz?
o que não é arte verdadeira não interessa a ninguém? ah, bom! então, os estádios desportivos estão cheios porque as pessoas não se interessam por aquilo que não é arte verdadeira.

será isso uma necessidade de empacotar tudo com a mesma etiqueta? será que há pessoas que só se sentem satisfeitas se os produtos que consomem forem considerados arte? sentir-se-ão diminuídas se forem "apanhadas" a consumir produtos de entretenimento?
vistas as coisas por outro lado, quem é que vive apenas da fruição artística? quem é que consegue alimentar-se apenas disso?!

21 fevereiro, 2005 02:15  

Enviar um comentário

<< Home