4.4.05

O ideal de despersonalização do intérprete


Um filme muito pessoal sobre o maestro filmado pelo seu filho.
"Quanto mais velho ele ia ficando mais intensivamente ouvia a música, maior se tornava o espaço musical e mais largos se tornavam os tempi. O filme apresenta excertos de ensaios e concertos gravados apenas com um único microfone e que representam do mais impressionante que se pode ver num documentário sobre o maestro Celebidache: o Requiem de Mozart, o Concerto para Orquestra de Bartok e sobretudo a 9. Sinfonia de Bruckner..."

Süddeutsche Zeitung
LP

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Belo ideal esse, da música sem músicos. Deve ser por isso que escrevem uma música que ninguém quer tocar. Mas como também ninguém quer ouvir a coisa acaba por bater certo, e o ideal atinge-se.

24 abril, 2005 21:28  

Enviar um comentário

<< Home