30.7.05

Em tom de despedida

Por razões várias, é cada vez mais difícil interromper o silêncio a que este blog se foi remetendo. A excepção resulta de um impulso do João Martins do Diário de Bordo e da Diana do Arte no Tempo. Aqui vai então a resposta ao mini-inquérito enviado pelo João.

Quantos Gigabytes tem de música:
Cerca de 7 GB. Para quem acreditar, direi que a maior parte da música que tenho em mp3 é cópia de cds que tenho em casa.

Último CD que comprou:
Um CD com o título de “Contemporâneos de Mozart”. É interessante a constatação de quanto daquilo que se ouve em Mozart é parte da norma, da tradição, do hábito musical da época.

Música tocando no momento:
Nenhuma. Não fazendo disso um dogma, não tenho por hábito ouvir música que acompanha qualquer coisa.

Cinco músicas que tenho escutado bastante:
Grande parte da música que ouço é em concerto. Não por resultado de uma profunda decisão contra o cd e a favor da música ao vivo. É apenas uma constatação. Muita da música que me interessa ouvir é feita em concerto. Ultimamente oiço pouca música em casa. A excepção corresponde a algumas obras que me acompanham sempre e que as revisito regularmente. Mas para que a resposta não fique demasiado abstracta direi que um dos compositores que tenho ouvido é o Scarlatti por Pogorelich, Häntai, Horowitz, Staier, Tipo. Beethoven é um dos de sempre.

LP

2 Comments:

Blogger arte no tempo said...

não fazia ideia de que gostavas assim tanto do scarlatti! não fazia mesmo ideia...

d

01 setembro, 2005 22:28  
Blogger Decompositor said...

leve mas não leviano.
l.

01 setembro, 2005 22:49  

Enviar um comentário

<< Home